Depois de petição online dicionário Michaelis muda definição de casamento

Depois de petição online dicionário Michaelis muda definição de casamento

Após a criação de uma petição online, pelo paulista Eduardo Santarelo, pedindo a alteração da definição de “casamento” no dicionário em português Michaelis, a Editora Melhoramentos, responsável pela publicação, atendeu à solicitação depois de 3 mil pessoas assinarem o pedido de Maurício no site Change.org.

A partir de agora a definição no dicionário muda:

De “União legítima entre homem e mulher” para “Ato solene de união entre duas pessoas”.

tumblr_mapvlfsiKC1qaw8ky

A mudança já está disponível na versão digital do dicionário. Já para as versões impressas ainda é necessário aguardar que sejam feitas as reimpressões e novas edições, segundo a editora o verbete será corrigido.

Sobre a mudança, Breno Lerner, diretor da Editora Melhoramentos, se posicionou:

“Agradecemos ao organizador e signatários por nos alertarem sobre este importante tópico”, disse Lerner. “Solicitamos a nossos dicionaristas uma nova redação do verbete.”

Anteriormente, a definição para a palavra casamento aparecia como “união legítima entre homem e mulher”, e “união legal entre homem e mulher, para constituir família”.

O novo verbete não traz mais as palavras homem ou mulher, agora a definição de casamento se refere a “pessoas”:

“Ato solene de união entre duas pessoas; casório, matrimônio. 2 Cerimônia que celebra vínculo conjugal; matrimônio. 3 União de um casal, legitimada pela autoridade eclesiástica e/ou civil; matrimônio”, de acordo com o Michaelis.

tumblr_nawow8EcWs1tkovj8o1_500

Sinceramente? Isso é ótimo! A sociedade evolui e as pessoas junto com ela. Pelo menos deveria ser assim, afinal até quando vamos continuar na ignorância do “isso não é normal”, “isso não está certo de acordo com a bíblia”, “tudo bem ser gay, mas não precisa nos fazer engolir”, “ditadura gayzista” e todos os outros absurdos que vemos por aí.

Acredito que termos esse tipo de apoio e exposição, logo se torna uma coisa “normal”, porque é inadmissível tanto ódio por nada, por falta de conhecimento de causa, por falta de respeito ao próximo. São medidas simples como essa que trazem luz e conscientização para as pessoas. Afinal, somos todos iguais e devemos ter os mesmos direitos.

8yyuqw

Fonte de inspiração para o post: BBC Brasil
0 I like it
0 I don't like it

Blogueiro, Youtuber, Social Media, Gerente de Projetos Web, metido a webdesigner e programador, sim, um workaholic. Viciado em The Sims, Resident Evil e músicas toscas. Aspirante a ator.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *