Entenda as diferenças entre sexo, identidade de gênero e orientação sexual

Entenda as diferenças entre sexo, identidade de gênero e orientação sexual

Muito se fala sobre as diferenças entre o que é cada pessoa, na verdade tentam definir as pessoas entre sexo, identidade de gênero ou orientação sexual.

A prova disso é que até bem pouco tempo, as pessoas acreditavam que qualquer expressão sexual que fugisse dos padrões de comportamento socialmente definidos para o homem e a mulher era considerado anormalidade, ou mesmo doença. No entanto, estudos mostram que não é bem assim.

no-no-no-no-no

O livro os Onze sexos, de Ronaldo Pamplona, mostra que a sexualidade é formada por cinco elementos: o sexo biológico, a identidade de gênero, o papel sexual, a identidade sexual e, por fim, a orientação sexual. A combinação entre estes elementos marca as diferenças no jeito de cada pessoa ser e viver sua sexualidade. Mas você sabe a diferença entra cada um desses elementos?

Sexo Biológico

Quando um espermatozoide penetra o óvulo ocorre a fecundação. Todo óvulo contém um cromossomo X, já os espermatozoides podem conter os cromossomos X ou Y. Se o espermatozoide que o fecundou for do tipo X, o bebê será do sexo feminino. Mas, se o vencedor for do tipo Y, o bebê será do sexo masculino.

A partir de então, cada um dos sexos forma o seu aparelho genital, inclusive um tipo de glândula interna específica: ovário nas meninas e testículo nos meninos. Externamente, as meninas, quando bebês, são identificadas pela presença da vulva, vagina e clitóris e os meninos pelo pênis e a bolsa escrotal.

Identidade de Gênero e Papel Sexual

Por volta dos 2 ou 3 anos, as crianças descobrem os seus genitais. Essa descoberta anatômica tem uma grande importância na tomada de consciência de gênero e no desenvolvimento dos papéis sexuais. Os pequenos associam seu tipo de genital ao dos pais e, de acordo com a similaridade, imitam os comportamentos do pai ou da mãe.

Além disso, meninos e meninas são tratados de forma diferente desde a hora em que os adultos descobrem seu sexo, muitas vezes, ainda na barriga da mãe. Por meios de gestos, palavras, brincadeiras, prêmios e castigos, a família, a escola e a mídia passam para a criança informações e modelos que ensinam como eles esperam que um menino ou uma menina se comporte. Isto é o Papel sexual – a forma como cada um expressa sua sexualidade.

Identidade Sexual

A identidade sexual é o que o indivíduo acredita ser. E isto é um processo de construção psicológica que envolve o sexo biológico e o comportamento social. Para um garoto, por exemplo, acreditar que ele é homem, é preciso que ele saiba que é do sexo masculino, se reconhecer como homem e saber como um homem deve agir.

Parece óbvio, mas a aquisição da identidade nem sempre é assim. Os travestis, por exemplo, são pessoas com uma identidade sexual variável: num momento sentem-se homens, no outro, mulheres. Já os transexuais têm uma identidade sexual fixa, ou seja, acreditam ser homens ou mulheres, só que o seu corpo não corresponde a esse sentir. Um exemplo conhecido é o da Roberta Close.

Orientação Sexual

A forma como cada pessoa se sente – a identidade sexual – é individual e pessoal, bem como o desejo por alguém para amar e fazer sexo. A Orientação sexual é exatamente a direção para qual se inclina este desejo, de acordo com o gênero pelo qual a pessoa se sente atraída. Desta forma, existem três tipos de orientação sexual: heterossexual, quando se deseja pessoas do sexo oposto; homossexual, que é desejo por alguém do mesmo sexo; e bissexual, quando se deseja pessoas de ambos os sexos.

Assim, um homem heterossexual, por exemplo, nasce com os genitais masculino, sabe que pertence a este gênero, aprende a se comportar como a sua cultura espera, se sente homem e deseja sexualmente pessoas do sexo oposto. No homem homossexual, todos os elementos da sua sexualidade ocorre como no homem hetero, só que o seu desejo sexual está direcionado a alguém do seu mesmo sexo. Já na pessoa bissexual a atração pode ocorrer tanto por um gênero como pelo outro.

Como você pode perceber, a orientação sexual é um desejo que não depende da vontade consciente da pessoa. Ninguém decide ser hétero, homo ou bissexual de uma hora para outra, e muito menos porque é moda ou alguém falou para ser assim. Quando se tem um desejo que não corresponde às expectativas sociais, o indivíduo sofre bastante com a discriminação, o preconceito e a ignorância das pessoas.

Esse gráfico que encontrei na fan page da UniBH, ajuda a simplificar:

Entenda as diferenças entre sexo, identidade de gênero e orientação sexual

Combate ao preconceito

Nos últimos cinco anos, vários estudos, como o  Juventudes e Sexualidades, da UNESCO;Revelando Tramas e descobrindo segredos: violência e convivência nas escolas, estudo sobre as escolas do Distrito Federal, de Miriam Abromovay, Ana Lucia Cunha e Priscila Pinto Calaf; Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) e ainda Diversidade e Homofobia no Brasil, publicada pela Fundação Perseu Abramo, mostram o quanto, cada vez mais, a homofobia/transfobia (medo ou ódio irracional às pessoas LGBT) está presente na sociedade brasileira, inclusive nas escolas.

Por isso é lamentável o ocorrido com o material didático do projeto Escolas sem Homofobia, apelidado pejorativamente de Kit Gay, recolhido recentemente da rede pública de ensino devido à pressão de setores da sociedade. Este material traria, pela primeira vez, a oportunidade de a escola trabalhar com os alunos os diferentes jeitos sexuais de ser, mostrando de forma positiva que isto é uma condição humana como tantas outras e que merece ser respeitada. O material foi recolhido com base na ignorância de políticos e também de grande parte da sociedade, que não se informa e tira como exemplo a bíblia e a religião para tomada de decisões em um país onde o Estado é laico, segundo a Constituição.

É como eu sempre digo informação e educação é base para combater a homofobia e qualquer tipo de preconceito.

get (4)

Fonte: Nova Escola
0 I like it
0 I don't like it

Blogueiro, Youtuber, Social Media, Gerente de Projetos Web, metido a webdesigner e programador, sim, um workaholic. Viciado em The Sims, Resident Evil e músicas toscas. Aspirante a ator.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *