Estudante chinesa abre processo contra livros que 'demonizam' gays e lésbicas

Estudante chinesa abre processo contra livros que 'demonizam' gays e lésbicas

Uma estudante chinesa abriu um processo judicial sem precedentes contra Ministério da Educação da China sobre livros escolares que ela diz “demonizar” gays e lésbicas.

Chen Qiuyan, estudante universitária, 21 anos, da Sun Yat-Sen University, no sul da cidade de Guangzhou, quer que a biblioteca da universidade retire livros didáticos de psiquiatria e psicologia que dizem que os homossexuais têm “problemas mentais ou físicos” e precisa ser “curado “.

Ela deu entrada no processo em 14 de agosto, no 1º Tribunal Popular Intermediário de Beijing, que aceitou o caso.

Chen disse que ela ficou horrorizada quando ela leu pela primeira vez os livros didáticos em 2013.

Naquela época, Chen era uma caloura e confusa sobre sua sexualidade. Ela procurou os livros em busca de respostas mais acadêmicas sobre a homossexualidade e como uma alternativa à procura de respostas on-line.

“Eu estava apavorada ao ler os livros. O que meus amigos e colegas pensariam de mim se eles lessem isso?”

A leitura levou Chen a procurar um psicólogo. Desde então ela se assumiu sua homossexualidade para os amigos e abriu o processo judicial depois de meses procurando autoridades e os tribunais locais em Guangzhou para informar sobre os livros, que ela diz que são desatualizados mesmo de acordo com as próprias leis da China.

Estigmas do passado

Em 2001, a homossexualidade foi removida de uma lista oficial de doenças mentais para tratamento clínico. Isto veio de uma decisão de 1997 para descriminalizá-lo.

Nas últimas duas décadas, a comunidade LGBT da China tem adquirido vários ganhos de aceitação social.

Jovens ativistas gays e lésbicas  estão exigindo cada vez mais direitos e reconhecimento, tendo como base a decisão de junho da Suprema Corte dos Estados Unidos para estender direitos do casamento do mesmo sexo em todos os 50 estados.

No mês passado, a ativista Li Tingting e sua parceira Teresa Xu realizaram uma cerimônia de casamento informal, em Pequim, para incentivar uniões do mesmo sexo, que ainda não são legalizadas na China. Mas o estigma ainda permanece profundamente enraizada.

Uma pesquisa recente com 90 livros didáticos de psiquiatria e psicologia, feita pelo grupo LGBT da Guangzhou Gay and Lesbian Association Campus of China, 31 discutiam a homossexualidade como uma doença. Todos foram publicados depois de 2001.

Chen disse que ficou surpresa quando o tribunal de Pequim aceitou o caso e ela acha que é uma vitória notável em sua busca para certificar que homossexualidade seja representada com precisão nos livros didáticos.

“Não importa se eu ganhar ou perder ou que o se resolva fora do tribunal”, disse à CNN. “O que importa é o Ministério da Educação terá de responder à questão sobre estes livros.”

“Eu não tenho escolha”

Estudante chinesa abre processo contra livros que 'demonizam' gays e lésbicas

Chen Qiuyan e seus amigos do lado de fora de um tribunal em Guangzhou em 29 de julho de 2015. Com as placas: “Buscando justiça. Pessoas gays podem se casar nos Estados Unidos, mas os livros didáticos os estigmatizam (os gays) na China.”.

Durante o processo de petições e ações judiciais, Chen disse que os professores e funcionários de sua Universidade tentaram convencê-la a “não fazer barulho.”

Seus pais só souberam sobre sua sexualidade na última terça-feira (18), depois de serem convocados para uma conversa com funcionários da universidade. Seus pais lhe disseram que estavam profundamente tristes e se recusaram a aceitá-la como homossexual.

“Eu não tenho escolha, além de levar isso adiante. Eu só podia lutar por mais direitos dos homossexuais, se eu seguisse em frente.”

Os amigos heterossexuais de Chen acham que ela é muito radical, e que ela está causando problemas para si mesma.

“Mas eles não têm a experiência. Eles não têm ideia de como é grande o perigo que uma informação falsa de um livro poderia fazer para qualquer estudante.”

get (4)

Traduzido do artigo da CNN
0 I like it
0 I don't like it

Blogueiro, Youtuber, Social Media, Gerente de Projetos Web, metido a webdesigner e programador, sim, um workaholic. Viciado em The Sims, Resident Evil e músicas toscas. Aspirante a ator.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *